Lança rasga flecha ponta seca cega mira espeta desfia desfolha desarma estica esgarça atravessa estraçalha bala de agulha tiro de canhão retalho restolho recorte tesoura tritura fatia fina em partes em postas em cortes picadinho de trapo banquete de graça dispara no espaço espera o fracasso amarrotado arruinado arregaçado arremessado arrasado falido falhado finado destruído perdido despregado arrancado da parede posta parede lisa reta ou torta parede virtual irreal imaginaria refrataria retardatária retrograda reacionária e ideal mas resta um fio filete fina fagulha um traço rastro estreito rasteiro têxtil um triz força motriz motora propulsora jogada à frente rente descrente latente potente sobre o chão sob os pés largada sem rumo sem prumo sem meta desenho desolado desabitado despovoado desértico seu fio é seu fim e seu começo chegada e partida onde aparece e desaparece seu próprio endereço subjétil subtraído subexposto subsistente insiste na armadilha da trama tessitura tênue cama confortável da vertigem da queda do abismo que desperta que dispõe que desprende e que detona incerta cada parte cada metade cada suporte que traga sua abertura sua própria fissura sua saída insegura por fora.

 

Luciana Paiva

Catalogo da exposição DES tudo, 2015